A análise SWOT é uma das técnicas mais conhecidas para iniciar o desenvolvimento de um planejamento estratégico. Sua sigla representa Strenghts (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças), ou seja, é uma ferramenta que busca analisar o cenário atual em que a empresa se encontra, criando um “raio x” do seu negócio. O mais interessante é que por ser uma ferramenta muito versátil, ela também pode ser aplicada a produtos e serviços de uma forma mais específica.

Abaixo, trouxemos um Canvas que utilizamos aqui na Move durante nossas consultorias. 

Canvas Matriz SWOT
Canvas Matriz SWOT

Um dos pilares da SWOT é justamente identificar as fraquezas do negócio, de forma que a equipe possa reduzi-las ou contorná-las ao longo do plano de ação. No entanto, não é raro ver líderes que indicam essas fraquezas com base em suposições, ao invés de dados concretos, exatamente por não saberem como obtê-los. Por isso, separamos algumas dicas que podem ajudar você e a sua equipe a conseguir informações confiáveis, para tornar seu planejamento ainda mais preciso. 

🕹️ Dica da Move: Colabore e crie este material em conjunto com o seu time! Sabemos que pode parecer desafiador conseguir uma ou duas horas com sua equipe para realizar essa atividade, mas acredite, quando construímos preenchemos essa matriz de forma colaborativa o resultado é muito melhor – sem contar o fator engajamento afinal, as pessoas naturalmente se engajam quando ajudam a construir algo. 

#1 Pesquisa interna com colaboradores 

Para identificar as fraquezas do seu negócio, é essencial conversar com quem mais entende do seu produto: seus colaboradores. São eles que lidam diretamente com os clientes, que precisam resolver problemas e utilizar as ferramentas disponíveis para entregar um bom resultado, ou seja, possuem propriedade para apontar possíveis pontos fracos. Não tenha medo de envolver os times operacionais ou, pelo menos, um representante de cada área envolvida no seu processo. 

Para desenvolver essa pesquisa, é preciso analisar o porte da sua empresa. Caso seja uma startup ou um negócio que começou há pouco tempo, que ainda possui poucos funcionários, você pode chamá-los para uma conversa aberta, dessa forma é possível se aprofundar bastante no ponto de vista e na vivência de cada um deles.

No entanto, lembre-se que para isso funcionar é necessário fazer com que seus colaboradores se sintam confortáveis para falar a verdade e expressar suas opiniões, o líder precisará construir um ambiente seguro! Garanta que não exista nenhum receio de punição pelos fatos apontados.  

No caso de uma empresa de médio ou grande porte, que conta com grandes equipes, envolver 100% dos colaboradores de uma única vez pode ser inviável. Uma boa opção é selecionar um grupo menor com líderes representantes de cada área para que criem uma matriz SWOT com seus times e consolidem os resultados. Com estes resultados em mãos este grupo de líderes deve se reunir para avaliar todas as informações coletadas e compilar em uma única matriz.  

Evite o uso de formulários de pesquisa ou outras ferramentas “frias” de coleta de dados, em geral a maioria das informações da SWOT será qualitativa e, para esse tipo coleta, nada melhor do que uma conversa aberta. Lembre-se de que, no desmembramento dos planos de ação e metas, iremos nos aprofundar mais nos números. 

#2 Pesquisa com clientes 

Os seus clientes por outro lado, são os que mais usam o seu produto na prática. Ao fazer uma pesquisa com eles você conseguirá identificar problemas mais relacionados aos aspectos funcionais e de usabilidade, como por exemplo falhas e defeitos durante o uso ou no atendimento e suporte prestado após a compra.

O mais interessante dessa pesquisa é que os seus clientes estão pagando pelo seu produto, então eles não terão medo ou receios de ser sinceros, portanto, a confiabilidade pode ser ainda maior. Mas cuidado, saiba selecionar a sua amostra para ser imparcial e descarte ou chamados outliers – resultados discrepantes ou extremos que pode ter sido influenciados por fatores não relacionados ao seu produto, como um dia ruim ou pressa ao responder (lembre-se que estamos conversado com pessoas).  

Para esta pesquisa você pode analisar métricas já disponíveis – como o NPS (Net Promoter Score) e o Churn Rate – taxa de desistência após orçamento ou não retorno à loja após primeira compra. Esses dados podem ajudar a selecionar os clientes que serão abordados para uma pesquisa qualitativa. Se sua empresa já possui uma equipe de relacionamento, suporte ou sucesso do cliente, ali estará a sua mina de ouro. 

#3 Análise da concorrência 

Para tornar sua SWOT e seu planejamento ainda mais completos, analisar os seus concorrentes é indispensável – não importa se você já é líder de mercado ou se começou há pouco tempo, a concorrência e a forma como os seus clientes lidam com eles é um grande termômetro para o seu negócio.

Dependendo do tamanho do seu segmento, separe um colaborador ou uma equipe para fazer um levantamento de quem é a sua concorrência e obter o máximo de dados possíveis: quanto tempo está no mercado, quantidade de clientes, tamanho da equipe, modelo de negócio, fatia do mercado que ocupa, local de atuação, diferenciais, entre outras informações que forem pertinentes. 

Uma boa estratégia é realizar o que chamamos de “cliente oculto” – ir até o seu concorrente e realmente passar por toda a jornada até a compra do produto. Em alguns casos é possível fazer uma simulação de uso, agendar uma demonstração do produto, cadastrar-se para receber um contato do time comercial ou conversar com um cliente em comum, para obter um feedback sobre a experiência com as duas empresas. 

Conhecer o mercado e a concorrência permite que você entenda o que ameaça o seu negócio e o que precisa ser melhorado para conseguir alcançar ou permanecer no topo. 

#4 Conte com a ajuda de especialistas 

Caso você ainda se sinta inseguro mesmo para realizar essa atividade com o seu time, você pode contratar uma empresa especialista no assunto para auxiliá-lo nesse processo. Nós da Move42, por exemplo, ofereceremos uma consultoria empresarial na área de planejamento estratégico e aplicamos muito a Matriz SWOT. Fale com um de nossos consultores e saiba como podemos ajudá-lo. 

🕹️ Dica da Move: Já dizia W. Edwards Deming: “Sem dados, você é apenas mais uma pessoa com opinião”. Por isso, inclua pesquisas, indicadores e análises de dados em todos os processos possíveis. Quando a equipe comercial contatar um prospect e ele não fechar, peça um feedback sobre os motivos. Se um cliente solicitar o cancelamento entre em contato ou envie um formulário de pesquisa de satisfação sobre sua experiência. Inclua também formulários automáticos nas plataformas online, para agilizar o processo. Quanto mais dados e estatísticas, mais precisas serão suas análises e, consequentemente, seu planejamento. 

E não se esqueça de ficar de olho em nosso Instagram, onde damos dicas de tudo que é relacionado a este assunto!

 

Sobre o Autor:

 

 

”César César Augusto Pessôa é Empreendedor por opção (Empretec), Especialista em Gestão de Projetos (PMI) e apaixonado por Metodologias Ágeis e Inovação (MBI pela UFSCar).

Instagram: @cesaraugustopessoa

 

Compartilhar: